De um pesadelo para um filme de terror



O texto abaixo, fugindo às características do blog, foi escrito em um momento de indignação, em 31/08/2011, vendo a Copa como um pesadelo. Hoje, faltando 10 dias para o início da Copa do Mundo eu confesso que me enganei, a situação é muito pior. Eles conseguiram transformar o meu pesadelo em um filme de terror. Para sentir o mal que eles – Governos Federal, Estaduais, Municipais, Congresso, Assembleias, Câmaras Municipais, FIFA, CBF, Organizadores Nacionais e Locais, Rede Globo, além de gente como Ronaldo, Bebeto e tantos outros – fizeram com o país e com o povo, leiam o texto de Jorge Luiz Souto Maior, “A Copa Já Era”, transcrito no blog de Juca Kfouri e reproduzido no blog de Dimitri  http://dimitriganzelevitch.blogspot.com.br


                                                                                                                                                    
Hoje acordo vendo o Brasil que nos orgulha e o Brasil que nos envergonha: uma atleta honrando o Brasil internacionalmente e uma política sendo absolvida por seus honestos pares. E fico pensando na Copa do Mundo e nas Olimpíadas que teremos no Brasil. Quantas quadras, pistas de atletismos, piscinas foram criadas na Bahia durante os últimos dez anos? Além de um regulamento sobre o torcedor, em parte em desuso, e medidas de controle social dos torcedores, quais melhorias foram realizadas em nosso principal estádio e na maioria dos estados brasileiros nos últimos dez anos? Quanto investimento foi realizado na formação de atletas e quais medidas foram realizadas em torno do mercado de trabalho dos jogadores de futebol na Bahia? Aliás, alguém já pensou na diminuição do mercado de trabalho e da situação do envelhecimento dos jogadores de futebol? Qual governo, sobretudo federal e estadual, já pensou que a melhoria do futebol brasileiro passa pela democratização e profissionalização dos dirigentes brasileiros? Até quando teremos que suportar a nível nacional, regional e local – inclusive nos clubes – a eternização de dirigentes medíocres, em sua maioria corruptos? E isso ocorre, porque, cada vez estou mais cônscio, que políticos e governantes veem nos esportes e no futebol apenas mais uma oportunidade comercial – prefiro dar esta nominação para não ser processado – e política
Queremos realizar uma Copa do Mundo? Óbvio, mas não a que está sendo gestada, com falácias e piadas. Fala-se em tudo, menos em futebol: ela é a Copa do Mundo do Governo e do Empresariado. Começamos dizendo que o setor privado seria o grande investidor da Copa, quando na realidade quase todo o dinheiro é público. O setor privado – junto com pessoas e grupos informais públicos - vai ganhar e nós, os pobres mortais, vamos pagar a conta. Por que só os africanos e nós temos que engolir as absurdas estruturas nos estádios, montadas pelas cabeças elitistas e mafiosas da carcomida FIFA? E a nossa Fonte Nova que apenas poderia ser reformada e estamos construindo um monstrengo que até hoje não sabemos como será, nem quanto custará. É verdade que sou meio desinformado, assim como todas as pessoas que conheço.
Acho que no futuro será um grande espaço para as bandas de axé, pagode e igrejas evangélicas. Já pensaram o enorme público de Bahia e América de Minas Gerais com o “valor ínfimo” que será cobrado? E no meio tem episódios dignos de José Simão: na “prestigiada” Bahia ocorreria a abertura da Copa. Só rindo para não chorar
Há seis meses ou um ano atrás – o tempo de tanta coisa que se fala na Bahia é meio difícil de precisar - se falava da necessidade de expandir o aeroporto e diante dos problemas ambientais, se pensava até mesmo em novo aeroporto em Feira de Santana. Já na semana passada falavam das maravilhas do nosso aeroporto, inclusive com banheiros de “Primeiro Mundo”. Aí aparece um jornal “espírito de porco” e fala nos mendigos adentrando o aeroporto, os taxis ilegais, sem falar na carência de transporte público e os assaltos nos poucos ônibus que existem.
Mobilidade urbana: começa com uma grande piada. O metrô de 6 km, iniciado há mais de dez anos e sem previsão de conclusão. Junto com ele um grande crime contra todos nós: a devastação ambiental das principais áreas da cidade. Conduzida pela Prefeitura, é verdade, mas com o beneplácito do Governo do Estado. Destruíram a cidade e agora quando se pensa – já é alguma coisa alguém pensar entre nosso governantes, fazer é outra coisa - em um moderno sistema de transporte (acredito em Paulo Ormindo) os dignos Edis dizem que o BRT é melhor e que querem participar das decisões governamentais. Justo, justíssimo. Porém, melhor seria que eles também andassem pelas ruas próximas ao seu local de trabalho. Que tal dar uma passada no dinâmico e ativo Largo 2 de Julho, com comércio, serviços e população morando, e observar a profusão de carros estacionados irregularmente, sujeira total e a profusão de mendigos, bêbedos e sacizeiros? Mas, a verdade é que isso não tem grande importância, afinal, são problemas de toda cidade.
A segurança baiana, com dez fotos no New York Times, e estatísticas assustadoras, com 25 homicídios na Grande Salvador no último final de semana, também é apenas um detalhe a ser solucionado na Copa do Mundo. Ah, tem os turistas com alguns casos, mas pontuais, sem nada que mereça mais atenção, afinal já criamos com muita midiatização a UPP do Calabar e outras virão. Passeie pelo Calabar, mas evite o Jardim Apipema, a Sabino Silva, a Ondina, a Graça e a Barra, em especial o Porto da Barra, pois poderá ser assaltado de dia e à noite, com enorme probabilidade. Será que alguém sabe que a maior empresa de intercâmbio dos USA, por causa da violência contra seus estudantes, poderá ser fechada na Bahia?  Nosso setor hoteleiro precisa de expansão e todos o sabem, mas valerão a pena os investimentos?
Mas, com certeza teremos uma grande Copa do Mundo. Primeiro, se faz um grande corredor de trânsito do aeroporto para hotéis e para o estádio; segundo, se enche de policiais as áreas que deverão ser frequentadas pelos visitantes; terceiro, se os jogos forem medíocres, generosamente se distribuem os ingressos com a patuléia. Claro, tudo isso com a participação de nossas Divas – Ivete, Daniela, Cláudia Leite – e o Chiclete e Asa de Águia. E, para completar a glória do nosso empreendimento, quem sabe com alguma ajuda especial – como a Argentina em 1978 – veremos Ricardo Teixeira, Pelé e o honesto Presidente da FIFA entregando a taça de campeões a Neimar. E viva o país do futebol.            

Artigo escrito em 31/08/2011 – A deputada federal Roriz foi absolvida por seus pares no Congresso e a atleta de salto em vara brasileira tornou-se campeã mundial.

Comentários

Postagens mais visitadas