Comer e jogar com paciência

Atualmente sou pesquisador do Centro de Estudos Afro-Orientais e professor das pós-graduações em Estudos Étnicos e Africanos e Antropologia, na Universidade Federal da Bahia. Tenho algumas publicações sobre relações raciais e étnicas, futebol, trajetórias, porém, hoje dizem que já não basta. Quem não está plugado nas redes sociais está acéfalo. Meu caso é crítico, não tenho a febre do Lattes, não viajo para congressos e estou ausente das redes, enfim, estou quase morto. O blog é uma tentativa de abreviar o meu axexê ou cremação. Uns dois orientandos convenceram-me. Será também uma oportunidade de divulgar os seus trabalhos. Sou contumaz fichador e marcador de livros. Vou abordar a alimentação, em especial sua história e antropologia. Mas, não deixarei de falar de futebol, de lazer, de literatura e outras milongas. Além dos meus escritos, poderei também postar textos ou comentários de amigos. Uma amiga querida disse-me que tinha um blog e ninguém lia, já outro tinha centenas de seguidores. Isso pouco importa, um personagem de Rilke disse que escrevia por necessidade, já Mário de Andrade, irônico, dizia que se o mostrávamos era por vaidade e se não o mostrávamos era por vaidade também. Por outro lado, nem sempre quantidade é qualidade, e atendi também a Jérome Bindé e sua alerta contra a febre do imediato e a onipotente emergência. Vou na sua linha de compreensão do mundo atual, daí apenas uma vez por semana apresentarei algum texto. Com paciência.

Comentários

Postagens mais visitadas